Início

Avengers Lego.

Deixe um comentário

Agora fica a dúvida se o Hulk está tentando montar ou simplesmente esmagando mesmo!

Anúncios

Happy Hulk.

Deixe um comentário

O Hulk ganhou um vídeo no maior estilo Nyan Cat. Depois de assistir Os Vingadores (e gostar muito), o idealizador do canal  fez uma animação que fica 2 minutos e 21 segundos num looping do Hulk socando o Loki no chão! =)

Nos primeiros 10 segundo até que é interessante vai!

Vingadores em poses femininas.

2 Comentários

Quadrinhos de heróis sempre foram sexistas, buscam uma beleza física quase impossível de se alcançar, corpos parecidos, musculatura padronizada como se houvesse um modelo ideal a ser imitado. São as verdadeiras estátuas gregas do mundo moderno.

E faz muito tempo que os quadrinhos usam da pose Broke Back pra sei lá, vender mais HQ’s. “Brockeback”, tudo junto, é uma palavra do título de um filme gay com o Heath Ledger (Brockeback Moutain). Escrito com duas palavras, “Broke back” descreve uma coluna lesada, uma escoliose  rara que atinge heroínas em capaz de HQ’s e mulheres em cartazes de filme.

O filme e a pose.

A imagem abaixo refere-se a um dos posters de divulgação dosVingadores. Dá pra sacar que a pose que destoa das outras é a Víuva Negra, que é retratada de uma forma que sua bunda fica mais visível que sua própria face! Foi aí que o artista Kevin Bolk fez uma ilustração onde os demais heróis faziam a pose feminina, e a Víuva uma pose normal masculina. É engraçado vai!

Ridículo. =)

Bom, não são apenas as HQ’s que abusam de tal artificio, o cinema está se profissionalizando e nos brindando com belas imagens de poses sem sentido! Um exemplo de aprendizado é a franquia “G.I. Joe” que fez a pose nas artes promocionais do primeiro e segundo filme!

Os Vingadores.

Deixe um comentário

[Blá blá blá]

Quando a Disney comprou o catálogo de personagens da Marvel (os disponíveis), muitos marvetes torceram o nariz e praguejaram por dias na internet. Hoje muitos deles sequer se lembram que por trás de toda produção Marvel existe dinheiro da Disney.

E se não fosse esse capital Disney, o primeiro longa do Homem de Ferro provavelmente teria sido um filme da Fox, Sony ou de qualquer outro estúdio que não teria o devido cuidado, vide as cagadas em X-Men (O Confronto Final) e HA (3). Thor e Capitão America não teria saído do papel. E mais, depois das péssimas críticas não teria havido outro Hulk.

Dupla dinâmica da Marvel.

Para o debute nos cinemas, a Marvel chamou o inexpressivo diretor Jon Favreau e o desacreditado e quase falido Robert Downey Jr. pra frente do Homem de Ferro! Não sabíamos exatamente o que estava por vir, mas acabou sendo uma boa surpresa. Nos extras do DVD é possível constatar a dedicação de todos os envolvidos para criar uma ação tecnológica 13 anos muito superior ao que foi Transformers!

O universo (nesse caso criado por Stan Lee) conspirou pra que fosse um sucesso. Feito a cama, a Marvel então começa a se deitar.

Depois de conseguir a galinha dos ovos de ouro (ainda miúdos), a Marvel foi investir em outros personagens. Não obteve sucesso com o “O Incrível Hulk” por conta do ego do Edward Norton e a incapacidade de dirigir de Luis Leterrier. No fechar da conta, parece ter sido feito só pra lembrar de qual universo o Hulk faz parte e depois do Fury no Homem de Lata, foi a vez do Stark aparecer no pós créditos dando crédito a fita e afirmando mais uma vez o plano de reunir esses personagens num único cenário.

Esperando um tom shakespeariano, chamou  Kenneth Branagh pra dirigir Thor e Tom Hiddleston pra viver Loki, se esqueceram de chamar um ator pra viver Deus do trovão e também de dar uma função pra Natalie Portman no set.

Com o Capitão America a manobra foi ainda mais arriscada. Anunciou Chris Evans (outro ator sem crédito) e a comunidade de fãs pois-se a bravejar. Evans já havia vivido outro personagem Marvel no cinema, o Tocha Humana no dois Quarteto Fantástico da Fox, e novamente foi contratado outro diretor meia boca, Joe Johnston.

Thor e Capitão são os únicos que assisti uma única vez e não tenho muita vontade de ver novamente! Na verdade, fui ver pra cumprir tabela e checar a capacidade dos envolvidos. Foi bom, pois me fez chegar em Vingadores com a expectativa na medida certa.

[Blá blá blá]

Os Vingadores começa com um distúrbio numa instalação da S.H.I.E.L.D., o cubo, artefato que havia sido usado pelo Caveira Vermelha na segunda guerra e recuperado junto com o Capitão América (vide filme do Capitão), começa a emitir uma energia como nunca antes, abra-se um portal e eis que surge Loki, no maior estilo Exterminador do Futuro.

A motivação do Loki já era besta no longa do Thor e não melhorou muito no filme do grupo, a diferença é que ele não está mais afim de Asgard, deixou o mimimi de irmão carente de lado e agora quer governar a Terra. Para tanto, fecha um acordo com forças do espaço, nesse caso, os Chitaures (versão ultimate dos Skrulls), que em troca vão levar o cubo. Ok!

Tom Hiddleston está  ótimo, tem olheiras, faz cara de mal mas manipula pouco. Chris Hemsworth melhorou bastante agora que faz um Thor familiarizado com a Terra. A Gwyneth Paltrow não parece a  Gwyneth Paltrow e a Scarlett Johansson ganhou cenas bem legais. Ponto para as duas… Jeremy Renner que havia ido muito bem no Missão Impossível 4, vai bem novamente! Estou apostando nesse cara em The Bourne Legacy.

Mark Ruffalo é a grande e agradável novidade. Tem frases de cientista e fisicamente interpreta um ótimo Bruce Banner, também emprestar seus movimentos pro gigante esmeralda. E é com o Hulk que acontecem as melhores cenas do filme! Nos dois “Hulk’s” anteriores ele esmaga o exercito, nesse ele soca o Thor, soca o Loki e esmaga o exercito invasor. Já vale o ingresso!

A força do Hulk desequilibra a balança e resulta num ótimo momento de ironia do Tony Stark: “Eu tenho um exercito.” – “Nós temos um Hulk”. Ruffalo tem contrato pra 6 filmes com a Marvel, isso significa que o veremos nervosinho mais vezes. Bom pra nós! =)

Apesar de mostrar uma invasão alienígena, o espectador não fica tenso… Guerra dos Mundos é uma bosta? É! Independence Day tem um final ruim? Tem! Mas no meio de ambas as fitas há uma certa tensão, primeiro os humanos caem, depois triunfam. Nos vingadores isso não acontece, primeiro eles tomam uma sacudida de leve e depois destroem. Todos os personagens são de certo modo triunfantes, exceto o vilão, claro!

Ah sim, estava me esquecendo de comentar o Capitão. Bom… Ele é o velho Steve Rogers altruísta, o soldado que se enfia debaixo do arame farpado pra salvar seus companheiros! Aparta brigas, ajuda o Stark depois de discutir com ele, lidera o grupo na batalha e dá a tão esperada ordem ao Hulk: Smash!

Os Vingadores do Joss Whedon não tem a profundidade de um Cavaleiro das Trevas do Nolan, mas o roteiro de Batman Begins também não era uma obra prima. Diferente de uma HQ onde a dupla desenhista e roteirista sempre imprimem seus estilos e características, Joss por sua vez parece não ter se importado em aparecer. Não tem nada incrível que o consagre na direção e nem no roteiro, exceto o bom resultado em unir e dosar tantos personagens num filme de ação e aventura com piadinhas legais.

Sem inventar, o filme só podia ter um resultado positivo, fruto de um plano bem elaborado e produzido. Uma pena que outros personagens que vira e mexe participam das aventuras do grupo nas HQ’s, (como o Aranha, o Coisa e o Wolverine por exemplo) estejam nas mãos de outros estúdios. Seria muito legal ver o Aranha tecendo algumas teias pra segurar os escombros que caiam dos prédios… Mas isso fica pra próxima!

A praia da Marvel é essa, nada de filme sombrio (atual clichê hollywoodiano). O negócio deles é essa guerra divertida à luz do dia, um feijão com arroz bem temperado que dá vontade de repetir. Mas lembre-se, se quiser uma refeição mais densa, sugiro que procure alguns clássicos (recentes ou não) da equipe nas HQ’s.

Minha mãe, que acha que gibi é coisa de criança, vai adorar esse filme!